Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

JOSÉ

JOSÉ,

O nome José significa, "O Senhor acrescentará" e era um nome muito comum na época da Bíblia. Apesar de existirem vários Josés mencionados na Bíblia, tem um José que se destaca - o filho de Jacó. Apesar de ter sofrido muitas dificuldades e pessoas más, José permaneceu fiel a Deus e generoso para com outras pessoas. Como resultado, Deus o fez ser extremamente bem sucedido e o usou para salvar toda a raça hebraica.

IRMÃOS CIUMENTOS

No Velho Testamento, José era o décimo primeiro filho de Jacó e o primeiro filho de Raquel. Raquel colocou o nome de José em seu filho que quer dizer "Que Ele acrescente". Isso mostra que Raquel desejava que Deus a desse mais um filho depois de José (Gênesis 30:24). A Bíblia não nos fala mais nada de José até seus dezessete anos quando ele cuidava do rebanho de ovelhas de seu pai junto com seus irmãos (Gênesis 37:2). José era o filho favorito de seu pai, pois não só ele nasceu depois que Jacó já tinha uma certa idade (Gênesis 37:3,) como era filho de sua esposa preferida. Por causa de seu favoritismo, os irmãos de José o odiavam. A inveja de seus irmãos piorou ainda mais quando Jacó deu a José uma beca de mangas compridas, toda colorida e que se arrastava no chão (Gênesis 37:3-4). A inimizade de seus irmãos cresceu quando um dia José revelou a eles que ele estava tendo sonhos que mostravam que um dia seus irmãos se dobrariam diante dele (Gênesis 37:5-11). Um certo dia, Jacó mandou que José fosse olhar seus irmãos e os rebanhos perto de Siquém, seus irmãos o enganaram e o venderam a mercadores em uma caravana rumo ao Egito (Gênesis 37:25-28). Os irmãos de José então apanharam sua túnica, embeberam-na em sangue de bode e a levaram até Jacó, o qual ficou atordoado quando concluiu que José havia sido morto por um animal selvagem (Gênesis 37:31-35).

PRESO NO EGITO

No Egito, José foi vendido a um oficial da guarda egípcia , chamado Potifar (Genesis 37:36), o qual colocou José no comando de toda a sua casa. No entanto, José logo teve problemas por causa da esposa de Potifar que se sentiu atraída por ele e tentou seduzi-lo (Gênesis 39:6-10). José persistentemente resistiu a suas investidas, dizendo que concordar com seus desejos prejudicaria o seu patrão e seria um pecado para com o seu Deus (Gênesis 39:9). No entanto, um dia, a esposa de Potifar agarrou a túnica de José e convidou José para se deitar com ela. José fugiu deixando sua túnica para trás. Com a túnica de José como evidência, a esposa de Potifar acusou José de tentar estuprá-la e Potifar assim acreditou nela (Genesis 39:19). José foi colocado na prisão do rei (Gênesis 39:20), onde o copeiro e o padeiro do Faraó também foram confinados. Enquanto estava na prisão, com a ajuda de Deus, José interpretou os sonhos desses dois homens. Assim como José havia previsto, o padeiro foi executado, e o copeiro foi recolocado em suas atribuições (Gênesis 40:21-22) no palácio real.

Dois anos mais tarde, Faraó teve sonhos que todos os mágicos e os sábios do país não os puderam interpretar (Gênesis 41:8). O copeiro que havia estado na prisão com José contou a Faraó de como José havia interpretado os seus sonhos e então, Faraó mandou chamar José. Deus revelou a José que o sonho previa sete anos de abundância no Egito, seguidos por sete anos de grande fome (Gênesis 41:25-36). Faraó, impressionado com a interpretação de José, o fez governador do Egito, vindo em segundo lugar apenas após ele mesmo (Gênesis 41:39-44). A José lhe foi dado um novo nome, Zafenate-Panéia, e uma esposa, Asenate, filha de Potifar (Gênesis 41:45).

PROMOVIDO A GOVERNADOR

José tinha trinta anos de idade quando se tornou governador do Egito. Durante os sete anos de prosperidade, ele esteve no comando de ajuntar os alimentos extras e os suprimentos para os sete anos de fome que estavam por vir (Gênesis 41:53-56).

Voltando a Palestina, a fome se tornou severa porque não armazenaram alimento. Jacó, o pai de José , enviou todos os seus filhos, exceto Benjamin, seu filho mais novo, para o Egito para comprar grãos. Seus irmãos não reconheceram José quando ficaram diante dele e se encurvaram para pedir a ele alguns grãos. No entanto, José os reconheceu e se lembrou do sonho que tinha tido anos antes (Gênesis 42:8-9). Depois de ter escutado relatório de sua família, José os acusou de serem espiões (Gênesis 42:9-14) e mandou que eles deixassem um de seus irmãos como refém e fossem buscar seu irmão Benjamim para provar a veracidade de sua história (Gênesis 41:19-20). Simeão, o mais velho dos irmãos, foi amarrado e deixado no Egito enquanto os outros irmãos voltaram para pegar Benjamim (Gênesis 42:24).

REUNIDOS

Quando a fome piorou muito na Palestina, Jacó pediu aos seus filhos que voltassem ao Egito e comprassem mais grãos (Gênesis 43:1-2). Dessa vez, Jacó relutantemente concordou com as condições do administrador egípcio e deixou que Benjamim fosse com seus irmãos (Gênesis 43:11-13). Quando eles chegaram no Egito, eles foram levados a casa de José, aonde eles se encotraram Simeão. O súditos de José prepararam uma refeição para eles (Gênesis 43:33) comerem. José finalmente revelou sua identidade e declarou que Deus havia mandado ele preservar suas vidas (Gênesis 45:4-8). Depois dessa reunião, José mandou buscar Jacó. Ele providenciou carroças e provisões para a viagem de volta (Gênesis 43:21). Quando Jacó estava quase no Egito, José foi ao encontro dele, e lá ocorreu mais uma grande reunião (Gênesis 46:28-29). Ele apresentou seu pai e seus irmãos ao faraó, que permitiu que a família inteira de Jacó se assentasse em Gosém (Gênesis 47:6). Quando ele soube que seu pai estava doente, José pegou seus dois filhos Manassés e Efraim e levou a seu pai para que ele os abençoasse. José colocou seus filhos em volta de Jacó para que o mais velho, Manassés, recebesse a benção da primogenitura. No entanto, Jacó cruzou seus braços e colocando a sua mão direita em Efraim, o concedeu a maior benção (Gênesis 48:14-20). Ele também deu a José uma terras que ele havia ganhado dos Amoritas numa batalha. Quando Jacó finalmente morreu, José fez os preparativos de seu funeral e depois que os ritos costumeiros foram realizados, uma grande procissão fúnebre foi a Canaã, aonde seus filhos o enterraram na caverna do campo de Macpela perto de Hebrom (Gênesis 50:1-12).

Quando José tinha 110 anos, ele chamou seus irmãos e disse a eles que ele estava prestes a morrer. Ele os fez jurar que quando eles voltassem a Canaã, eles levariam os seus ossos com eles. José morreu, foi embalsamado e foi colocado num caixão no Egito (Gênesis 50:26). Muitos anos depois, durante o Êxodo, Moisés levou os ossos de José com ele do Egito (Êxodo 13:19). Os restos mortais de José foram enterrados em Siquém num pedaço de terra que Jacó havia comprado quando ele estava vivo (Gênesis 33:18-20).

sexta-feira, 20 de abril de 2012

JOSIAS

JOSIAS

(Javé Cura) Décimo sexto rei de Judá, que reinou 31 anos (640-609 a.C.) depois de Amom, seu pai (2Rs 21.26). Promoveu uma reforma religiosa, baseada no Livro da Lei (2Rs 22—23). Foi morto na batalha travada com o FARAÓ Neco, em Megido (2Rs 23.28-30).

JOSUÉ

JOSUÉ

(Javé É Salvação)

1) Auxiliar e, depois, sucessor de Moisés (Êx 17.8-13; Dt 31.1-8). Josué comandou a travessia do rio Jordão (Js 3) e tomou Jericó (Js 6). Conquistou a terra de Canaã e a dividiu entre as tribos de Israel (Js 8—21). Após abençoar o povo e renovar a ALIANÇA com Deus, Josué morreu com a idade de 110 anos (Js 24). V. JOSUÉ, LIVRO DE.

2) V. JESUA.

JOSUÉ, LIVRO DE

JOSUÉ, LIVRO DE

Sexto livro da Bíblia, um dos LIVROS HISTÓRICOS DO AT. O livro narra a conquista da terra de CANAÃ pelo povo de Israel e a sua divisão entre as tribos sob o comando de Josué, concluindo com a ocupação da terra e a morte de Josué. O livro foi escrito para mostrar que Deus cumpriu a promessa feita aos PATRIARCAS de que daria CANAÃ

2) aos seus descendentes (Gn 15.18-21; Js 1.2).

JOTÃO

JOTÃO

(Javé É Justo)
1) Filho de Gideão, que condenou os habitantes de Siquém quando estes proclamaram a Abimeleque como seu rei (Jz 9).

2) Décimo primeiro rei de Judá, que reinou de 740 a 736 a.C., depois de seu pai Uzias. Os 16 anos de reinado mencionados em 2Rs 15.33 incluem o tempo em que Jotão foi regente (2Rs 15.5). Em seu tempo viveram os profetas Isaías (Is 1.1), Oséias (Os 1.1) e Miquéias (Mq 1.1).

JUDÁ

JUDÁ


1) Quarto filho de Jacó e Lia (Gn 29.35). Aparece como líder entre os irmãos (Gn 37.26-27; 43.3-10; 44.16-34). Casou com mulher cananéia (Gn 38.1-11) e foi pai de gêmeos com Tamar, sua nora (Gn 38.12-30). Recebeu de Jacó a bênção do CETRO (Gn 49.8-12). Foi antepassado de Davi (Rt 4.12,18-22) e de Cristo (Mt 1.3).

2) Uma das 12 TRIBOS do povo de Israel, formada pelos descendentes de JUDÁ

1). Na divisão da terra, essa tribo recebeu a maior parte do sul da Palestina (Js 15.1-12,20-63).

3) Reino localizado no sul da Palestina. Foi formado quando as dez tribos do Norte se revoltaram contra Roboão e formaram o Reino de Israel sob o comando de Jeroboão I, em 931 a.C. (1Rs 12; v. o mapa OS REINOS DE ISRAEL E DE JUDÁ). Durou até 587 a.C., quando Jerusalém, sua capital, foi tomada e arrasada pelos babilônios, e o povo foi levado ao CATIVEIRO (1Rs 12—22; 2Rs; 2Cr 11—36).

4) Nome usado em Esdras (5.8; 9. 9), Neemias (2.7) e Ageu (1.1,14; 2.2) a fim de indicar a PROVÍNCIA para onde os judeus voltaram depois do CATIVEIRO (v. JUDÉIA).

JUDÁ, TRIBO DE

JUDÁ, TRIBO DE

Judá foi uma das doze tribos de Israel.

TERRITÓRIO GEOGRÁFICO

II Reis 23:8 descreve Judá estendendo-se de Geba a Berseba: Geba fica a cerca de 12,8km ao norte de Jerusalém e Berseba, 64km ao sul. Assim, Judá continha uma faixa de terra montanhosa na parte central do sul da Palestina, cerca de 90km de norte a sul e 32km de leste a oeste. Dessa área, metade era deserto (no sul e leste); o resto era rochoso e mal irrigado.

O cume central onde se assenta Jerusalém, Hebrom e Berseba se eleva a mais de 914m em alguns lugares antes de se afunilar para o deserto no sul. A estrada principal corre ao longo do cume, ligando essas cidades. Para leste, o cume cai vertiginosamente para o Mar Morto, quase 1.524m abaixo. Para oeste ele cai menos íngreme para as "terras baixas", na verdade um platô de 304m de altitude, antes de descer para a planície filistéia, que se estende para o mar.

Antes da existência de Jerusalém, Judá era distante e segura em suas montanhas. Seu verdadeiro centro e capital era Hebrom, 1066m acima. Ao norte era vulnerável a atacantes que marchavam para o sul ao longo da estrada do cume. Entretanto, três grandes vales levavam das planícies do oeste para as montanhas: o vale de Ajalom, o vale de Soreque e o vale do Carvalho. Batalhas se desenrolaram acima e abaixo nesses vales dos dias de Josué ao tempo de Davi e até muito tempo depois.

 As poucas estradas para o leste (a que vai de Jerusalém para Jericó é a mais conhecida) não eram tão importantes, embora tenha sido por essa "porta dos fundos" que Josué invadiu a parte alta da nação (Josué 10:9). Judá ficava assim geograficamente bem fora do centro da vida israelita, visto que somente o território de Simeão ficava para o sul.

JUDAÍSMO


JUDAÍSMO

Sistema religioso praticado pelos judeus (Gl 1.13-14). Seus ensinamentos procedem do AT, de tradições orais antigas e do TALMUDE. O conjunto de seus ensinamentos e práticas começou a formar-se no período do CATIVEIRO, desenvolvendo-se completamente no PERÍODO INTERTESTAMENTÁRIO.



JUDAIZANTE

JUDAIZANTE

Judeu-cristão que insistia que para alguém ser salvo era necessário também guardar as leis básicas do JUDAÍSMO, principalmente a CIRCUNCISÃO.

 O termo “judaizante” não aparece no NT, mas a atividade deles é mencionada em vários lugares, como, por exemplo, em Atos 15.

JUDAS

JUDAS


1) Iscariotes, escolhido por Jesus para ser apóstolo (Mt 10.4), sendo o tesoureiro do grupo (Jo 12.6). Traiu a Jesus (Mt 26.47-49) e, depois, enforcou-se (Mt 27.3-5; At 1.16-19).

2) Irmão de Jesus (Mt 13.55) e provável autor da carta que leva seu nome (v. JUDAS, EPÍSTOLA DE).

3) Apóstolo, filho de Tiago, também chamado de Tadeu (Mt 10.3; Lc 6.16).

4) Cristão de Damasco, em cuja casa Paulo se hospedou, após sua conversão (At 9.11).

5) Cristão que se destacou na igreja de Jerusalém, também chamado de Barsabás (At 15.22-32).

6) O Galileu, um revolucionário (At 5.37).

7) Macabeu, chefe da revolta dos macabeus (v. MACABEUS).

JUDAS, EPÍSTOLA DE

JUDAS, EPÍSTOLA DE

Breve carta escrita por Judas, o “irmão de Tiago” (Jd 1), sendo ambos provavelmente irmãos de Jesus. Foi dirigida a uma igreja ou grupo de igrejas, que estavam sendo vítimas dos ensinamentos de falsos mestres (Jd 4).

O autor repreende o comportamento imoral desses perturbadores e aconselha os leitores a se manterem firmes na fé. Essa epístola é um dos livros ANTILEGÔMENA e é muito semelhante a 2Pedro.

JUDÉI, JUDEUS

JUDÉI, JUDEUS

Este título para a "terra dos judeus" foi usado particularmente depois do exílio judeu na Babilônia. Uma vez que muitos israelitas que voltaram do Egito eram da tribo de Judá, foram chamados Judeus e sua terra, Judéia. Esta parte da Terra Santa tem sido sempre de grande interesse do estudioso da Bíblia por causa da localização de cidades como Jerusalém e Belém dentro da área e por causa dos eventos da vida e ministério de Cristo que ocorreram lá.

DEFINIÇÃO

Usado pela primeira vez em Esdras 5:8, o termo designava uma província do Império Persa. Também é mencionado na literatura do período macabeu depois que a Grécia tomou dos persas o controle da região. (I Macabeus 5:45; 7:10).

 Nos tempos de Roma, a Judéia foi anexada à província romana da Síria até o período de Herodes, o Grande, que foi declarado rei da Judéia por volta de 37 AC. De vez em quando, o termo Judéia parece significar todo o território ocupado pela nação judaica, isto é, todo o oeste da Palestina (Lucas 23:5; Atos 10:37; 26:20).

Escritores seculares dos tempos do Novo Testamento, incluindo Estrabo, Tácito e Filo, usaram o termo num sentido mais amplo. Mas em seu sentido comum e estrito, denotava o distrito sul da Palestina. Os outros dois distritos ou divisões eram Galiléia, no norte, e Samaria, no centro.

JUDÉIA

JUDÉIA

PROVÍNCIA para onde os judeus voltaram depois do CATIVEIRO. A maioria dos que voltaram era da tribo de Judá, e por isso o território que ocuparam passou a ser chamado de Judéia. No tempo de Cristo, o termo se referia à parte sul das três regiões em que a província romana da Palestina era dividida. As outras duas eram Galiléia e Samaria. A Judéia fazia parte do proconsulado romano da Síria e era governada por um procurador. Media quase 90 km de norte a sul e, aproximadamente, a mesma distância de leste a oeste. Estendia-se do mar Morto ao mar Mediterrâneo e da altura de Jope até o extremo sul do mar Morto. Mesmo assim, até nessa época, o nome Judéia às vezes indicava toda a Palestina (Lc 1.5; 4.44; 7.17; At 10.37).

JUDEU

JUDEU

Um judeu nos tempos bíblicos era uma pessoa que pertencia a Judá, que é um reino baseado nos decendentes de uma das doze tribos dos filhos de Israel (chamada de Judá). O termo judeu vem de uma palavra hebraica subjacente que foi primeiramente usada em 2 Reis 16:6 como um termo nacional, que significava os cidadãos de Judá. Começou a ser usado na época de Jeremias um pouco antes dos judeus serem mandados para o exílio no final do século 6 A.C. (Jeremias 32:12).
Uma vez que as pessoas estavam em exílio, o significado nacional do termo foi expandido com um significado religioso. os judeus eram diferentes das pessoas que os cercavam pois eles preservavam uma tradição religiosa de somente um Deus verdadeiro.

JUDEU

JUDEU


1) Morador da JUDÉIA. Os israelitas que voltaram do CATIVEIRO para a província da Judéia e os seus descendentes passaram a ser chamados de judeus porque a maioria deles era da tribo de Judá (Ed 4.12; Ne 1.2).

2) No NT o termo também é usado para aqueles que seguiam o JUDAÍSMO e que, às vezes, atacavam a fé cristã, chegando a perseguir os cristãos (Mt 28.15; Jo 1.19; 3.25; At 14.19).

JUDITE

JUDITE

[Judia] Livro APÓCRIFO, em que fatos se misturam com fantasias. O seu objetivo é dar coragem aos judeus, cujo país estava para ser invadido por inimigos. Judite, uma viúva dedicada a Deus, mata Holofernes, comandante do exército assírio, e assim salva o povo judeu.

JUGO

JUGO


1) Peça de madeira que se prende com correias ao pescoço de animais de carga, para que assim possam puxar uma carroça ou um arado (Nm 19.2; 1Sm 6.7).

2) Em sentido figurado: domínio, opressão (Gn 27.40; Jr 28.2; Gl 5.1); sofrimento (Lm 3.27); obediência (Mt 11.29-30); aliança (2Co 6.14); trabalho (Fp 4.3).

JUIZ

JUIZ


1) Pessoa que tem o poder de julgar causas, dando sentenças (Êx 18.13-26; Sl 82).

2) Líder militar, libertador e governador das tribos do povo de Israel. Desde a morte de Josué até a escolha de Saul como rei, o povo de Israel foi governado por estes juízes: OTNIEL, EÚDE, SANGAR, DÉBORA, BARAQUE, GIDEÃO, ABIMELEQUE, TOLA, JAIR, JEFTÉ, IBSÃ, ELOM, ABDOM, SANSÃO, ELI e SAMUEL.

JUÍZES, LIVRO DE

JUÍZES, LIVRO DE

Sétimo livro da Bíblia, um dos LIVROS HISTÓRICOS DO AT. Narra a história de Israel desde a morte de Josué até o tempo de Samuel,
período em que o povo de Israel era governado por juízes (v. JUIZ 2).

JUÍZO

JUÍZO


1) Ato de Deus baseado em sua JUSTIÇA, pelo qual ele condena ou absolve as pessoas (Sl 97.2).

2) Sentença dada por Deus (Jr 48.47).

3) A palavra de Deus, suas leis e suas promessas (Sl 119.39).

4) Na expressão “juízo final” ou outras semelhantes, o tempo em que Deus, ou o MESSIAS, julgará todas as pessoas, condenando os maus e salvando os JUSTOS (Sl 1.5; Mt 10.15; At 24.25).

5) Julgamento feito de acordo com a vontade de Deus, no dia-a-dia e nos tribunais (Sl 72.1; Pv 21.3).

6) O próprio tribunal (Sl 112.5).

7) Boa saúde mental (Mc 5.15; 2Co 5.13).

JUMENTO

JUMENTO

Animal mamífero de quatro patas, pêlo duro e coloração variada, também chamado de asno, burro, jegue. É facilmente domesticável e utilizado como animal para montar, puxar carroça e levar cargas (Dt 22.10; Zc 9.9).

JUNCO

JUNCO

Espécie de planta direita, fina e longa que cresce em lugares úmidos e dentro da água (Jó 8.11). As suas folhas são usadas para fazer cestos e esteiras.

JUNTA

JUNTA


1) Ponto de ligação entre os membros do corpo ou entre partes de um instrumento (Gn 32.25; 2Cr 18.33), também chamado de articulação.

2) Par ou parelha de animais que puxam um arado ou uma carroça (Dt 22.10; Lc 14.19).

JURAMENTO

JURAMENTO


1) Ato de fazer uma afirmação ou promessa solene, em que se toma por testemunha uma coisa que se tem por sagrada (Mt 5.33-37).

2) A própria afirmação ou promessa assim feita (Gn 24.8). Deus jura por si mesmo porque não há outro ser maior do que ele (Gn 22.16).

JURO

JURO

Lucro ou rendimento, calculado sobre determinada taxa, de dinheiro emprestado ou de capital empregado (Mt 25.27). Ao israelita não era permitido cobrar juros de outro israelita, apenas de estrangeiros (Dt 23.20).

JUSTIÇA

JUSTIÇA


1) Atributo pelo qual, ao tratar com as pessoas, Deus age de acordo com as normas e exigências da perfeição de sua própria natureza (Sl 119.142).

 Por isso Deus castiga tanto os incrédulos (Dt 33.21; Sl 96.13) como o seu próprio povo (Sl 50.5-7; Is 28.17) e, com imparcialidade, socorre os necessitados (Dt 10.17-18; Sl 72.2).

2) Ato pelo qual Deus, em sua graça e em conformidade com a sua ALIANÇA, selada com o sofrimento, morte e ressurreição de Cristo, perdoa as pessoas fracas, perdidas e sem justiça própria, aceitando-as através da fé (Rm 3.21-26; 1Co 1.30; 2Co 5.21).

3) Qualidade que leva os cristãos a agirem corretamente, de acordo com os mandamentos de Deus (Mq 6.8; Rm 6.13,19; Ef 5.9; 1Pe 2.24; v. JUÍZO

5) e RETIDÃO.

JUSTIFICAÇÃO


JUSTIFICAÇÃO

1) Segundo alguns BIBLISTAS, o ato judicial de Deus por meio do qual ele, pela sua graça, perdoa os seres humanos de sua culpa. V. JUSTIÇA (2).

A base para esse perdão é que Jesus cumpriu a Lei em lugar dos seres humanos e sofreu o castigo pelos pecados deles (Rm 5.12-21). As pessoas são justificadas através da fé (Rm 3.21-25,28; 5.1), que Deus lhes dá pela ação do ESPÍRITO SANTO.
2) Segundo outros biblistas, justificação é o ato pelo qual Deus, como Rei, Senhor e Salvador, aceita e põe em relação correta consigo a pessoa que faz com ele uma ALIANÇA, a qual é baseada na fé em Cristo. A justificação é originada e mantida pelo Espírito Santo (v. JUSTIÇA (2) e Rm 1.17; 3.24 e 4.25 na NTLH).

JUSTO

JUSTO


1) Certo; legítimo (peso: Lv 19.16; causa: Sl 17:1).

2) A pessoa que, numa causa judicial, tem razão (Dt 25:1).

3) No sentido religioso judeu, aquele que pratica a Lei e as cerimônias judaicas (Mc 2.17).

4) A pessoa que está corretamente relacionada com Deus pela fé (Rm 1.17) e, por isso, procura nos seus pensamentos, motivos e ações obedecer àquilo que Deus, em sua Palavra, estabelece como modelo de vida (Rm 4.3; v. JUSTIÇA (2) e (3).

5) A pessoa que está de acordo com a justiça de Deus (Sl 145.17; v. JUSTIÇA (1).

IRA DE DEUS, A


IRA DE DEUS, A
Esse é um termo usado para descrever a tristeza de Deus com os seres humanos e seus atos pecaminosos. A palavra "ira" é um conceito representado por muitas palavras diferentes nas suas línguas originais da bíblia, mas todas elas têm haver com raiva justificada por ações injustas.
NO VELHO TESTAMENTO
O Velho Testamento diz que Deus está bravo com nações, pecadores e até mesmo com seu próprio povo, os judeus. A ira de Deus é expressa primeiramente com Israel por se recusarem a acreditar na sua palavra sobre entrar na Terra Prometida. Depois de eles terem sido resgatados do Egito, recebido os Dez Mandamentos e a aliança e visto a glória de Deus (Números 11:10; 12:19; 22:22; 32:10-14), eles ainda desacreditavam. Então Deus em sua ira, condenou os Israelitas a vagarem no deserto até que eles morressem. O motivo principal da ira de Deus no Velho Testamento era que seu próprio povo constantemente quebrava a aliança que ele fez com eles. Eles adoravam a ídolos (Deuteronômio 2:15; 4:25; 9:7-8, 19; Juízes 2:14; 1 Reis 11:9; 14:9; 15; 2 Reis 17:18), misturavam falsos deuses com a adoração ao Senhor (Isaías 1:10-17; Jeremias 6:20; Oséias 6:6; Amós 5:21-27), se rebelaram (1 Reis 8:46), algumas vezes não acreditavam em Deus (Números 11:33; 14:11; 33; Salmos 95:10-11) e ignoraram sua preocupação com o amor, com a justiça e com a santidade (Êxodo 22:22-24; Isaías 1:15-17; Amós 5:7-12; Miquéias 3:1).
Deus também está bravo com toda a humanidade (Naum 1:2). Os profetas desenvolveram a ideia do "Dia do Senhor" para avisar Israel e as nações que ninguém poderia escapar da ira de Deus (Amós 5:18-20). O Dia do Senhor é o dia de sua ira (Sofonias 1:15).
O Velho Testamento mostra a ira de Deus como sendo balanceada com a sua paciência, amor e a sua prontidão em perdoar. Deus é paciente. A palavra hebraica para "paciente" está relacionada com a palavra "ira" que significa "tamanho da ira"; ou seja, Deus não fica irado rapidamente (Êxodo 34:6). Deus é cheio de compaixão e fidelidade (34:6). Até mesmo quando seus filhos pecam contra ele, ele é como um pai que é cheio de compaixão e amor. Ele é sempre fiel aos seus filhos. Ele é pronto para perdoar aqueles que pecam contra ele quando eles expiam e são limpos de seus pecados. (34:6). O prazer de seu amor é muito maior que sua ira (Salmos 30:5). Miquéias orava e pedia ao Senhor que ele perdoasse logo o seu povo porque a sua ira não poderia durar para sempre (Miquéias 7;18; compare Salmos 89:46; Jeremias 3:5). No Salmo 103:8-13, o salmista compara o amor de Deus ao de um pai que não guarda sua ira continuamente nem tão pouco irrita seus filhos com disciplina. O propósito da ira de Deus não é destruir a humanidade (Oséias 11:9). Sua ira não é vingativa ou imprevisível. Em sua ira, ele coloca limites em nações (Babilônia, Assíria) e disciplina seu povo para que eles retornem a ele (Joel 2:13-14). No Velho Testamento, O Dia do Senhor não termina com a ira de Deus e sim com restauração da terra quando toda a terra será cheia do conhecimento de Deus (Isaías 11:9; Habacuque 2:14) e não haverá mais maldade (Isaías 65:25).
NO NOVO TESTAMENTO
O Novo Testamento também ensina sobre a ira de Deus juntamente com a doutrina de sua graça e amor (Mateus 3:7; Lucas 21:23; João 3:36; Romanos 1:18; Efésios 5:6; Apocalipse 14:10). Aqueles que não confessarem a fé na ressurreição de Jesus permanecem em pecado e serão expostos a ira de Deus (Efésios 2:3, 1 Tessalonicenses 1:10). A boa notícia do Novo Testamento é que Jesus veio nos libertar da ira de Deus (Romanos 5:9). Aqueles que forma libertados se reconciliaram com Deus (5:10) porque eles não estão mais de baixo de condenação (8:1).

sexta-feira, 23 de março de 2012

I.N.R.I.

I.N.R.I.

Letras iniciais da parte em latim do letreiro pregado na cruz e que quer dizer “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus” (Iesus Nazarenus Rex Iudaeorum - Jo 19.19).

IDOLATRIA

IDOLATRIA

Adoração de ÍDOLOS. Deus proíbe a adoração de qualquer imagem, seja de um deus falso ou do Deus verdadeiro (Êx 20.3-6). As nações que existiam ao redor de Israel eram idólatras, e Israel muitas vezes caiu nesse pecado (Jr 10.3-5; Am 5.26-27). Entre outras, eram adoradas as imagens de BAAL, ASTAROTE, MOLOQUE e o POSTE-ÍDOLO.

ÍDOLO

ÍDOLO

A divindade representada por um objeto, o qual é adorado em lugar da própria divindade (v. IDOLATRIA). “Ídolos do lar” eram os adorados em casa (Gn 31.19,30; Jz 17.5).

IDUMÉIA

IDUMÉIA

Região que ficava ao sul da Judéia (Mc 3.8). Iduméia é o nome grego de EDOM

2), que nos tempos do AT abrangia uma extensão maior do que a Iduméia (Gn 36.9). V. HERODES.

IGREJA

IGREJA


1) Grupo de seguidores de Cristo que se reúnem em determinado lugar para adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (Rm 16.16).

2) A totalidade das pessoas salvas em todos os tempos (Ef 1.22).

IMAGEM DE DEUS

IMAGEM DE DEUS

Expressão empregada nas Escrituras (Gn 1.26-27; 1Co 11.7) para dizer que o ser humano tem as mesmas características pessoais que Deus tem e, por isso, pode comunicar-se com ele. O ser humano tem, em termos limitados, as mesmas qualidades racionais, mentais, emocionais, morais e espirituais que Deus tem. Quanto ao corpo, o ser humano é semelhante aos animais; mas é diferente deles, pois tem consciência própria (sabe que existe) e tem poder de determinação própria (vontade). Sendo criatura superior, tem o poder de dominar a natureza (Gn 1.28-30). V. HOMEM
1).

IMPÉRIO

IMPÉRIO


1) Território de grande extensão ou certo número de territórios ou povos governados por uma só autoridade, o imperador (Lc 2.1, RA).

2) Domínio; autoridade (Cl 1.13, RA; Hb 2.14, RC; Jd 25, RA).

3) Forças demoníacas (1Co 15.24, RC).

IMPOR

IMPOR


1) Estabelecer; fixar (Êx 22.25).

2) Pôr em cima (Nm 27.18, RA; 1Tm 5.22).

3) Tornar obrigatório (Dt 26.6, RA; At 15.28).

4) Mandar (1Sm 23.20, RA).

IMPOSIÇÃO DE MÃOS

IMPOSIÇÃO DE MÃOS

Colocação das mãos sobre a cabeça de alguém. No AT, ato que simboliza
1) a transmissão de bênção e de direitos de herança (Gn 48.14-20);

2) a comunicação de dons e direitos para o exercício de um cargo (Nm 27.18,23);

3) a dedicação de um animal a Deus (Lv 1.4). No NT esse ato simboliza
1) a comunicação de bênção (Mt 19.13,15);

2) a restauração da saúde (Mt 9.18; At 9.12,17);

3) a recepção do Espírito Santo no batismo (At 8.17,19);

4) a separação para a prestação de serviços na causa de Deus (At 6.6; 13.3; 1Tm 4.14; 2Tm 1.6).

IMPOSTO

IMPOSTO

Contribuição obrigatória em dinheiro que os governos exigem de pessoas ou instituições e que usam para o bem público (1Rs 12). Os SELÊUCIDAS e os romanos cobravam impostos dos judeus (Mt 17.24-27; 22.15-21; Rm 13.7).

IMPRECAÇÃO

IMPRECAÇÃO


1) Súplica; pedido (Jó 31.30).

2) Intimação (Lv 5.1, RA).

3) Maldição; praga (Sl 10.7, RC; Ne 10.29, RA).

IMUNDO

IMUNDO


1) Objeto, lugar ou pessoa que, por estarem cerimonialmente sujos, não podiam ser usados no culto de adoração a Deus ou não podiam tomar parte nele. A impureza ritual ou cerimonial podia ser resultado, por exemplo, de contato com sangue (Lv 15.25), com o corpo de um morto (Lv 22.4) ou com um alimento proibido (Jz 13.4). V. PURIFICAÇÃO.

2) Animal ou ave que não podiam ser comidos (Lv 11; At 10.14).

IMUTÁVEL

IMUTÁVEL

Que não está sujeito a mudanças (Hb 6.18). Deus não muda nos seus atributos, na sua vontade e nas suas promessas (Ml 3.6).

INCENSO

INCENSO

Resina aromática de certas árvores que, misturada com ESPECIARIAS (Êx 30.34-38), era queimada nas cerimônias de adoração a Deus (Lv 16.13), de manhã e à tarde (Êx 30.1-10). O incenso era símbolo das orações que subiam para Deus (Sl 141.2; Ap 8.3-5).

INCIRCUNCISO

INCIRCUNCISO


1) Homem que não sofreu a operação da CIRCUNCISÃO (Js 5.7).

2) GENTIO (Jz 14.3; At 11.3).

3) Figuradamente, pessoa cujo coração não está aberto para Deus (Jr 4.4; 6.10; At 7.51).

INCITAR

INCITAR


1) Aconselhar (Dt 13.6).

2) Atiçar (1Sm 26.19; Mc 15.11).

3) Estimular; promover (Ap 2.22, RA).

INCLINAR

INCLINAR


1) Ficar de joelhos (Rt 2.10).

2) Curvar (Êx 18.7; Jo 19.30).

3) Ter queda para (1Sm 8.3; Rm 8.5).

4) Figuradamente: dar atenção (ouvidos - Is 32.9); voltar-se para (coracão - Js 24.23).

INFERNO

INFERNO

Lugar e estado de castigo em que os perdidos estão eternamente separados de Deus (Mt 18.8-9; 25.46; Lc 16.19-31; 2Pe 2.4; Ap 20.14). “Inferno”, no NT, traduz as palavras hades (uma vez) e geena (v. HINOM).

INFLAMAR

INFLAMAR


1) Fazer pegar fogo (Is 64.2).

2) Figuradamente: fazer arder (Jó 19.11); ficar indignado (2Co 11.29, RA); encher de paixão sensual (Ez 23.5, RA; Rm 1.27).

INIQÜIDADE

INIQÜIDADE

Pecado que consiste em não reconhecer igualmente o direito de cada um, em não ser correto, em ser perverso (Sl 25.11; 51.5; Is 13.11; Mt 7.23; Hb 1.9).

INJUSTIÇA

INJUSTIÇA


1) Ato que não é justo nem direito, e que uma pessoa pratica contra alguém (Dt 25.16; 1Co 6.8).

2) Decisão de juiz contrária àquilo que seria justo e direito (Lv 19.5).

INSCREVER

INSCREVER


1) Escrever, ESCULPINDO (At 17.23, RA).

2) Escrever em registro (Ne 12.23).

3) Figuradamente: escrever (Jr 31.33, RA).

INSPIRAÇÃO

INSPIRAÇÃO


1) Sopro (Jó 33.4, RC).

2) Influência especial do Espírito Santo ao guiar alguns dos seus servos do passado para dizerem ou escreverem aquilo que ele quis comunicar aos seres humanos (2Tm 3.16; 1Pe 1.10-11; 2Pe 1.19-21).

INTELIGÊNCIA

INTELIGÊNCIA


1) Competência (Êx 36.1).

2) Compreensão (Sl 119.144; Lc 2.47).

3) Conhecimento (1Co 1.19).

INTERTESTAMENTÁRIO

INTERTESTAMENTÁRIO

Período de mais ou menos quatrocentos anos da história de Israel entre Malaquias e o nascimento de Jesus (ver Cronologia Bíblica em apêndice neste dicionário).

ÍNTIMO

ÍNTIMO


1) Interior (Pv 20.27; Rm 8.23, RA).

2) Chegado (Sl 41.9; At 10.24).

INTRODUZIR

INTRODUZIR


1) Fazer entrar (Dt 9.28; At 21.28).

2) Pôr dentro (2Sm 6.17).

3) Entrar (Jd 4).

INVEJA

INVEJA

Sentimento de pesar pelo bem e pela felicidade de outra pessoa, junto com o desejo de ter isso para si (Sl 37.1; Pv 14.30; 1Pe 2.1).

IRA

IRA

CÓLERA (Sl 30.5; Ef 4.26). A ira de Deus é a sua reação contra o pecado, a qual o leva a castigar o pecador (Ez 7.8-9; Ap 16.19). Porém maior do que a ira de Deus é o seu amor, que perdoa aqueles que se arrependem e mudam de vida (Is 54.7-8; Rm 9.22-23). “Filhos da ira” quer dizer “sujeitos ao castigo” de Deus (Ef 2.3). A ira de Deus é a sua reação contra o pecado, a qual o leva a castigar o pecador (Ez 7.8-9; Ap 16.19). Porém maior do que a ira de Deus é o seu amor, que perdoa aqueles que se arrependem e mudam de vida (Is 54.7-8; Rm 9.22-23).

IRMÃOS DE JESUS

IRMÃOS DE JESUS

Os irmãos de Jesus por parte de mãe, filhos de José e Maria (Mt 13.55-56). Eles passaram a crer em Jesus depois de sua ascensão (Jo 7.1-5; At 1.14).

IRREMISSIVELMENTE

IRREMISSIVELMENTE

Inteiramente; exclusivamente (Lv 27.28-29, RA). Qualquer coisa dedicada somente ao serviço de Deus não podia ser usada para outros fins: precisava ser destruída.

ISAIAS

ISAIAS

Este profeta viveu no século VIII AC durante o reinado do reis judeus Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias. Foi também o autor do livro de Isaías na Bíblia. Era filho de Amoz (Isaías 1:1) e deve ter sido parente do Rei Amazias. Crescendo em Jerusalém, Isaías recebeu a melhor educação que a capital poderia proporcionar. Foi profundamente instruído sobre o povo e se tornou a consciência política e religiosa da nação. Era capaz de se comunicar facilmente com os reis de Judá e deve ter sido o historiador da corte de Judá por diversos reinados (II Crônicas 26:22; II Crônicas 32:32).
A esposa de Isaías é mencionada como sendo uma profetisa (Isaías 8:3) e eles tiveram pelo menos dois filhos: UM-RESTO-VOLVERÁ (Isaías 7:3) e RÁPIDO-DESPOJO-PRESA-SEGURA (Isaías 8:3). Isaías usava uma roupa própria dos profetas: sandálias e túnica de pelo de cabra ou de tecido de saco. Num determinado ponto de seu ministério, o Senhor ordenou a Isaías ficar nu e descalço por um período de três anos (usando somente uma tanga, Isaías 20:2-6). Isto deve ter sido humilhante numa sociedade que avaliava o staus social da pessoa através da roupa.

ISAÍAS

ISAÍAS

(Salvação de Javé) NOBRE
1) e profeta de Judá nos reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias (1.
1). Sua chamada se deu em 740 a.C. (cap.

6), e o seu ministério se estendeu por 47 anos (V. ISAÍAS, LIVRO DE).

ISAÍAS, LIVRO DE

ISAÍAS, LIVRO DE

Livro que contém as mensagens de Isaías ao povo de Judá e aos moradores de Jerusalém entre 740 e 687 a.C. Ele ensina que Deus é poderoso e exige que o seu povo seja SANTO (
1). Esse livro pode ser dividido em três partes.
1) Os caps. de 1 a 39 falam do tempo em que Judá está sendo ameaçado pela Assíria. O povo deve abandonar o pecado e abraçar a honestidade e a justiça.

2) Os caps. 40 a 55 falam da humilhação de um povo que foi expulso do seu país como castigo por causa dos seus pecados. Mas Deus vai trazer libertação.

3) Os caps. 56 a 66 trazem conselhos para o povo após a sua volta do CATIVEIRO. Isaías é chamado de “profeta evangelista”, sendo mencionado 22 vezes no NT. As passagens mais conhecidas do livro são o cap. 6; 9.1-6; 42.1-8; 52.13-53.12 e 61.1-4).

ISBOSETE

ISBOSETE

(Homem da Vergonha) Quarto filho de Saul. Ele reinou 2 anos em Israel (1010-1008 a.C.). Davi, que reinava em Judá, o derrotou (2Sm 2.8-4.12).

ISMAEL

ISMAEL

(Deus Ouve)
1) Filho de Abraão com Agar, a serva de Sara. Foi pai dos ismaelitas (Gn 16 e 17; 25.7-18).

2) Filho de Netanias (Jr 40.7-41.18).

ISRAEL

ISRAEL

(O Que Luta com Deus)
1) Nome dado por Deus a Jacó (Gn 32.28).

2) Nome do povo composto das 12 tribos descendentes de Jacó (Êx 3.16).

3) Nome das dez tribos que compuseram o Reino do Norte, em contraposição ao Reino do Sul, chamado de Judá (1Rs 14.19; v. o mapa OS REINOS DE ISRAEL E DE JUDÁ).

4) Designação de todo o povo de Deus, a Igreja (Gl 6.16).

ISSACAR

ISSACAR

(Recompensa? Salário?)
1) Quinto filho de Jacó e Léia (Gn 30.17-18; 49.14-15).

2) Tribo dos descendentes de Issacar (Nm 26.23).

ISSAROM

ISSAROM

Medida de capacidade para secos igual ao GÔMER.“Issarom” quer dizer “a décima parte”, subentendendo-se “de um EFA ” (Êx 29.40).

sábado, 17 de março de 2012

ISAQUE

ISAQUE

(Riso) O filho único de Abrão com Sara (Gn 17.19; 18.1-15) e segundo PATRIARCA dos israelitas. Abraão estava pronto para oferecê-lo em SACRIFÍCIO (Gn 22). Isaque casou-se com Rebeca, de quem teve dois filhos, Esaú e Jacó (Gn 25.19-26).

ISMAEL

ISMAEL

(Deus Ouve)

1) Filho de Abraão com Agar, a serva de Sara. Foi pai dos ismaelitas (Gn 16 e 17; 25.7-18).

2) Filho de Netanias (Jr 40.7-41.18).

ISRAEL

ISRAEL

(O Que Luta com Deus)

1) Nome dado por Deus a Jacó (Gn 32.28).

2) Nome do povo composto das 12 tribos descendentes de Jacó (Êx 3.16).

3) Nome das dez tribos que compuseram o Reino do Norte, em contraposição ao Reino do Sul,
chamado de Judá (1Rs 14.19; v. o mapa OS REINOS DE ISRAEL E DE JUDÁ).

4) Designação de todo o povo de Deus, a Igreja (Gl 6.16).

ISSACAR

ISSACAR

(Recompensa? Salário?)

1) Quinto filho de Jacó e Léia (Gn 30.17-18; 49.14-15).

2) Tribo dos descendentes de Issacar (Nm 26.23).

ISSAROM

ISSAROM

Medida de capacidade para secos igual ao GÔMER.“Issarom” quer dizer “a décima parte”, subentendendo-se “de um EFA ” (Êx 29.40).

terça-feira, 13 de março de 2012

ITURÉIA

ITURÉIA

Território situado a nordeste do lago da Galiléia. Foi governado por Filipe (vers. Lc 3.1 e HERODES

4). Seus moradores eram descendentes de Jetur, filho de Ismael (Gn 25.15).

HABACUQUE

HABACUQUE

(Abraço) Profeta que viveu no tempo em que os CALDEUS, em 612 a.C., derrotaram os assírios e se tornaram o império mais poderoso do mundo (1.

6). Talvez fizesse parte do grupo de músicos do Templo (3.
1), que nesse tempo ainda estava de pé (2.20). V. HABACUQUE, LIVRO DE.

HABACUQUE, LIVRO DE

HABACUQUE, LIVRO DE

Oitavo livro da coleção dos PROFETAS MENORES. O autor vê o perigo que o seu povo está correndo e não entende como Deus pode tolerar os babilônios, um povo mau e cruel. Deus responde que virá o tempo em que ele castigará os inimigos do povo de Israel. Que o profeta espere com paciência, confiando na justiça divina. Os maus serão castigados, e aqueles que são fiéis a Deus viverão. O livro termina com uma oração, em forma de hino, em que Habacuque louva a grandeza de Deus e mostra a sua fé nele.

HÁBIL

HÁBIL


1) Que tem queda ou capacidade para fazer alguma coisa (Nm 31.27; 2Cr 2.14).

2) Esperto (Lc 16.8, RA).