Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

CHARLES MARTEL (688–741)


CHARLES MARTEL
(688–741)

Avô de Carlos Magno que, na Batalha de Tours (732), liderou os franceses impedindo o avanço muçulmano para a Europa Ocidental.

Carlos, conhecido como Martel ("o martelo") pelos seus repetidos ataques contra os sarracenos (muçulmanos), era filho ilegítimo de um governador merovingiano, Pepin of Heristal. (Os merovingianos formaram a primeira dinastia francesa).

Com a morte de Pepin, Charles apoderou-se do cargo de seu pai com seu poder quase real e obrigou os dois herdeiros legítimos a entrarem num mosteiro. Sob o título de "principal do palácio" (primeiro-ministro), ele administrou bem suas funções, agindo como um rei.

Era independente em seu relacionamento com a nobreza francesa, realeza estrangeira, clérigos e papas. Recusou-se a ajudar o papa quando lhe foi solicitado. Freqüentemente apoderando-se de terras e possessões pertencentes à igreja para seu próprio uso, Charles construiu a herança que Carlos Magno teve mais tarde.

Embora a Batalha de Tours (perto de Poitiers) não tenha sido decisiva, serviu para levantar o moral dos franceses, que foram encorajados por ela para deter a invasão muçulmana posterior e para tomar à ofensiva. Embora os ataques muçulmanos tenham continuado, eram menos fortes do que no passado, principalmente por causa da complacência e dissensão interna dos muçulmanos.

Quando Charles Martel morreu, deixou suas terras e seu cargo para seus dois filhos, Pepin e Carloman. Dentro de poucos anos Pepin estava governando sozinho, o que impediu a disseminação da dinastia carolíngia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário