Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

COMBATE

COMBATE

MÉTODOS DE COMBATE
Combate é o meio pelo qual uma nação procura impor a sua vontade sobre outra nação através da força. O Velho Testamento está cheio de histórias sobre guerras. Antigamente, as nações lutavam para determinar fronteiras e dominância política.

As nações investiam dinheiro e tempo afiando as suas habilidades assim como desenvolvendo suas armaduras e armas. Suas estratégias tinham duas categorias: defesa e destruição. As nações tinham que proteger o seu pequeno ou grande território. Eles também tinham que fazer estratégias para ganhar ainda mais terra.

COMBATE PADRÃO

Unidades da cavalaria foram introduzidas no fechamento do segundo milênio A.C. e no começo do primeiro. A força da cavalaria proporcionava um choque nos grandes exércitos, e a mobilidade da cavalaria permitia uma concentração de tiros em pontos decisivos.

Quando os Assírios coordenavam a sua infantaria, cavalaria e carruagens, eles viravam uma poderosa máquina de batalha e nações vizinhas menores eram obrigados a ficar atrás de suas fortificações.

Eles não podiam chamar o exército num combate padrão num terreno aberto. O fator terreno era sempre muito importante. Num combate padrão em um terreno aberto, se tornou convencional colocar as melhores tropas do lado direito da linha.
BATALHA NUM TERRENO ABERTO: O DUELO

Durante certos períodos no antigo Oriente Próximo, o duelo apresentava uma alternativa para o combate padrão. O duelo era uma batalha de campeões que representavam forças que estavam lutando.

Os dois exércitos concordavam de antemão de agüentar até o resultado do combate. Este desenvolvimento é correspondente também a um discernimento espiritual. A bíblia nos ajuda entender o duelo entre duas forças espirituais contrárias: a luz e as trevas.

Num sentido eterno, a morte de Jesus trouxe a vitória sobre o mal. Desta maneira, assim como antigamente, o duelo espiritual evitou as casualidades pesadas de uma guerra entre o diabo e a plenitude da criação de Deus. Jesus lutou na batalha em nosso lugar e venceu.

Apesar do duelo ser comum entre exércitos, Israel não o praticou até o encontro entre Davi e Golias (1 Samuel 17:1).

ATAQUES A CIDADES FORTIFICADAS
A maioria das cidades no Oriente Próximo eram localizadas em locais onde poderiam ser defendidas contra ataques. Um ataque a uma cidade fortificada apresentava problemas opostos para o que estava atacando e para o que estava defendendo. As ações de um era a resposta direta a ação do outro. A intenção dos sistemas de defesa era frustrar os métodos de ataque, que por outro lado eram desenhados para penetrar os sistemas de defesa. Havia cinco maneiras de conquistar uma cidade fortificada :

1. Penetrar por cima das fortificações
2. Penetração direta através das fortificações
3. Penetração por baixo das fortificações
4. Assédio
5. Penetração por engano

Em muitas ocasiões, a combinação de dois ou mais métodos era necessária para abrir uma brecha na defesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário