Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

D. L. MOODY

D. L. MOODY
(1837-1899)

Evangelista americano

VISÃO GERAL

De 1875 até 1899 Dwight L. Moody foi inquestionavelmente o principal porta-voz da ala avivada dos prósperos evangélicos americanos de seus dias. Além de viagens evangelísticas regulares por cidades americanas e britânicas, através de contatos pessoais, Moody ajudou a formar uma rede de atividades cristãs que ele ou seus contatos próximos controlavam. O papel de sua liderança central era muito similar ao de Charles Finney antes da Guerra Civil ou ao de Billy Graham após 1950.


INíCIO DE VIDA E MINISTÉRIO


Moody foi um menino nascido em circunstâncias modestas que através de iniciativa e imaginação chegou à fama e ao sucesso. Nesse sentido era um homem de sua época. Deixou a casa de seus pais em Northfield, Massachussets, aos dezessete anos para seguir uma carreira em Boston. Lá se converteu e se juntou a uma igreja congregacional. Logo deixou Boston, mudando-se para Chicago em 1856, onde em poucos anos tinha um bem sucedido negócio como sapateiro. Nesse meio tempo foi tocado pelo entusiasmo dos reavivamentos na cidade, que se espalharam pela América em 1858, e se voltou cada vez mais para o trabalho cristão. Interessava-se muito pelas necessidades espirituais das pessoas nas cidades americanas em desenvolvimento crescente. Assim, em 1860 abandonou seu negócio de sapatos para trabalhar integralmente com YMCA - evangelismo para jovens nas cidades - e para fundar uma Escola Dominical para crianças pobres. Essas atividades foram parcialmente interrompidas pela Guerra Civil, durante a qual Moody passou algum tempo fazendo trabalho cristão entre soldados. Logo depois da guerra, tornou-se presidente do YMCA de Chicago e também construiu a Escola Dominical dentro da Igreja de Rua de Illinois. Tinha como característica realizar seu trabalho independente de estruturas denominacionais, embora fosse simpático a muitas denominações e cooperasse com elas nas suas campanhas de avivamento. Sua posição de trabalho independente teve importantes influências mais tarde no fundamentalismo e evangelismo americano.

FAMA MUNDIAL

Nos primórdios de 1870, Moody era muito conhecido como líder evangélico em Chicago, mas desconhecido nacionalmente. Seu acesso à fama resultou de uma viagem à Grã- Bretanha concebida muito modestamente, na qual Moody foi acompanhado por sua sócia, a cantora Ira Sankey. Na Escócia os evangelistas tiveram imenso sucesso, o que se repetiu em outras cidades britânicas, especialmente Londres. Quando Moody e Sankey voltaram para casa depois dessa viagem, que durou de 1873 a 1875, eram virtualmente heróis nacionais. Moody tinha somente que escolher as cidades nas quais fazer suas campanhas, uma vez que líderes religiosos de todas as metrópoles estavam ávidos por supri-lo com qualquer cooperação ou acomodações que desejasse em troca de suporte a seus cultos. Algumas cidades inclusive construíram auditórios gigantes especialmente para essas reuniões. O sucesso de Moody continuou pela América maior do que tinha tido na Grã-Bretanha, alcançando não somente os pobres e imigrantes que nunca tinham ouvido o Evangelho, mas também a população de classe média cujos encontros com o Cristianismo e com Deus precisava ser renovado ou intensificado. Seu estilo no púlpito não era sensacional ou espetacular, mas muito semelhante ao de um homem de negócios do século XIX que cativava o coração de seus ouvintes com ilustrações caseiras que apelavam efetivamente aos seus sentimentos. Sua mensagem era essencialmente simples. Ela se caracterizava pelos "Três R: Ruína pelo pecado, Redenção por Cristo e Regeneração pelo Espírito Santo". Moody concentrou seu ministério em salvar almas. Seu mais famoso comentário era: "Olho para este mundo como um navio naufragado. Deus me deu um barco salva-vidas e me disse _Moody, salve todos que puder_". Para fazer isso pensava que devia se concentrar na pregação. Isso se originou no trabalho inicial na sua cidade, quando combinava pregação da Palavra com alívio da pobreza. Essa mudança na ênfase, que era parte de uma importante tomada de posição no evangelismo reavivado americano, não se devia à diminuição de interesse da parte de Moody na assistência ao pobre. Em vez disso, estava convencido de que a melhor maneira de ajudar o pobre era guiá-lo a buscar primeiro o reino de Deus, depois do que outras coisas seriam acrescentadas.

Essa mudança em relação à ênfase em resgatar almas era acompanhada pelo crescimento do movimento premilênio na América depois da Guerra Civil, do qual Moody se tornou parte importante. Embora não abraçasse nenhum esquema definido da dispensação, pregava regularmente sobre a esperança da vinda de Cristo para resgatar do mundo o povo de Deus e então estabelecer com ele um reino na terra. Muitos dos amigos próximos e associados de Moody - notavelmente Reuben A Torrey, James M. Gray, a J. Gordon, C.I. Scofield and A T. Pierson - estavam profundamente envolvidos em promover uma forma mais exata e doutrinariamente militante de premilenialismo da dispensação. Moody, entretanto, recusou a se envolver em qualquer debate teológico que pudesse comprometer seu trabalho evangelístico. Entretanto permaneceu moderado nas questões do milênio. E ao contrário de muitos de seus jovens seguidores que eventualmente se tornaram fundamentalistas militantes, ele relutava muito em condenar líderes cristãos professos por causa de suas inclinações liberais.


SUAS INSTITUIÇÕES

Diferente de seu trabalho pessoal, o principal meio de perpetuar sua influência era através do estabelecimento de instituições educacionais. Em 1879 fundou uma escola para meninas em sua casa, em Northfield, Massachussets, e em 1881 construiu a Escola Monte Hermon para meninos. Em 1886 adotou a recém-fundada escola de treinamento bíblico Emma Dryer, o Instituto Bíblico de Chicago (mais tarde Instituto Bíblico Moody) para treinar rapidamente "gapmen" ou leigos nas coisas necessárias para que se tornassem efetivos trabalhadores cristãos. Talvez mais importantes naquela época eram as conferências bíblicas de verão que fazia em Northfield a partir de 1880. Nessas conferências líderes de todas as partes do mundo de língua inglesa se juntavam para aprender particularmente sobre evangelismo e a necessidade de vidas cheias do Espírito de santidade. O crescimento dessas conferências em Northfield gerou a formação do tão influente Movimento Voluntário de Estudantes em 1886. Esse movimento inspirou esforços missionários em favor de milhares de jovens durante as décadas que se sucederam, levando com eles o lema dos Voluntários Estudantes, que também resumia o objetivo do trabalho de D.L. Moody, "a evangelização do mundo nesta geração."

Nenhum comentário:

Postar um comentário