Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

DOZE TRIBOS DE ISRAEL

DOZE TRIBOS DE ISRAEL

As doze tribos de Israel são os descendentes dos doze filhos de Jacó: Ruben, Simeão, Levi, Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, José e Benjamim. Jacó, cujo nome foi mudado para Israel (Gênesis 32:28, 49:2), abençoou seus doze filhos em Gênesis 49. A ordem em que falou deles é seguida abaixo.
Embora houvesse doze filhos, treze diferentes tribos são mencionadas na Escritura porque dois filhos de José, Efraim e Manassés, foram adotados e abençoados por Jacó em Gênesis 48:5. Assim, em vez de falar na "tribo de José", a Bíblia fala mais das tribos de Manassés e Efraim. No entanto há ocasiões quando a tribo de José é mencionada, como em Ezequiel 47:13 e Apocalipse 7:8.
A herança tribal era importante no Israel antigo. Exemplos no Novo Testamento incluem Jesus, cuja genealogia aparece em Mateus 1, e o apóstolo Paulo, que menciona ser da tribo de Benjamim. Ainda hoje no moderno Israel, há muitos judeus que se orgulham em identificar sua linhagem familiar e a qual tribo pertencem.
RUBEN

Tribo que descendeu de Ruben, o mais velho dos filhos de Jacó (Gênesis 29:32). A tribo de Ruben geralmente recebe o lugar de honra na lista das tribos, sendo nomeada em primeiro lugar (Números 13:4). Semelhantemente, nas listas de duas e meia tribos morando a leste do Jordão, Ruben é sempre mencionado primeiro (Josué 1:12), embora pareça que Gade recebeu uma porção de terra maior.
Por causa do pecado de Ruben (Gênesis 35:22), seu pai profetizou que sua proeminência entre seus irmãos desapareceria (Gênesis 49:4). A despeito da oração de Deuteronômio 33:6, esse desastre alcançou a tribo anos mais tarde.

Nos dias do deserto, o chefe da tribo de Ruben aparece com todos os outros (Números 1:5) e um espia vai à frente de Ruben(Números 13:4) junto com o das outras tribos. Ruben tem seu lugar especial no acampamento e durante a marcha (Números 2:10). Somente os espias de Efraim (Josué) e de Judá (Calebe) são de confiança (14:6), mas Ruben aparece na mesma condição das tribos de seus irmãos: todas são iguais em desconfiança.

A revolta de Datã e Abirã, homens de Ruben, contra a autoridade de Moisés (Números 16:1) e possivelmente contra a posição especial de Levi pode ser significativa. Ruben pode estar clamando por sua velha primazia, penalizada pelo pecado (Gênesis 49:3-4). A tentativa falhou e o julgamento de Deus foi uma lição importante (Números 16:33).
Ruben era rico em manadas de bois (Números 32:1) e presumivelmente era uma tribo poderosa. Ruben, Gade e metade da tribo de Manassés pediram para ficar nas terras ricas em madeira e bem-irrigadas a leste do Jordão, conquistadas de Seom, o rei amorreu, e de Ogue, rei de Basã. Esse pedido egoísta ( porque envolveria não participar da dura luta através do Jordão) foi diretamente denunciada por Moisés. Entretanto, com a promessa das duas tribos e meia de sustentarem o maior peso da luta para seus irmãos no oeste, seu pedido foi atendido (32:20-22).

 Eles eram evidentemente bons soldados e Josué os mandou para casa no fim da campanha (Josué 22:1-6). Embora vivendo a leste do Jordão e separados de seus irmãos pelo que era na época um obstáculo natural insuperável, eles não tinham desejo de formar um estado independente. Mostraram isso construindo um grande altar memorial no ponto em que atravessaram o Jordão em seu caminho para casa (22:10).

Nenhum comentário:

Postar um comentário