Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 20 de abril de 2012

JOSIAS

JOSIAS

(Javé Cura) Décimo sexto rei de Judá, que reinou 31 anos (640-609 a.C.) depois de Amom, seu pai (2Rs 21.26). Promoveu uma reforma religiosa, baseada no Livro da Lei (2Rs 22—23). Foi morto na batalha travada com o FARAÓ Neco, em Megido (2Rs 23.28-30).

JOSUÉ

JOSUÉ

(Javé É Salvação)

1) Auxiliar e, depois, sucessor de Moisés (Êx 17.8-13; Dt 31.1-8). Josué comandou a travessia do rio Jordão (Js 3) e tomou Jericó (Js 6). Conquistou a terra de Canaã e a dividiu entre as tribos de Israel (Js 8—21). Após abençoar o povo e renovar a ALIANÇA com Deus, Josué morreu com a idade de 110 anos (Js 24). V. JOSUÉ, LIVRO DE.

2) V. JESUA.

JOSUÉ, LIVRO DE

JOSUÉ, LIVRO DE

Sexto livro da Bíblia, um dos LIVROS HISTÓRICOS DO AT. O livro narra a conquista da terra de CANAÃ pelo povo de Israel e a sua divisão entre as tribos sob o comando de Josué, concluindo com a ocupação da terra e a morte de Josué. O livro foi escrito para mostrar que Deus cumpriu a promessa feita aos PATRIARCAS de que daria CANAÃ

2) aos seus descendentes (Gn 15.18-21; Js 1.2).

JOTÃO

JOTÃO

(Javé É Justo)
1) Filho de Gideão, que condenou os habitantes de Siquém quando estes proclamaram a Abimeleque como seu rei (Jz 9).

2) Décimo primeiro rei de Judá, que reinou de 740 a 736 a.C., depois de seu pai Uzias. Os 16 anos de reinado mencionados em 2Rs 15.33 incluem o tempo em que Jotão foi regente (2Rs 15.5). Em seu tempo viveram os profetas Isaías (Is 1.1), Oséias (Os 1.1) e Miquéias (Mq 1.1).

JUDÁ

JUDÁ


1) Quarto filho de Jacó e Lia (Gn 29.35). Aparece como líder entre os irmãos (Gn 37.26-27; 43.3-10; 44.16-34). Casou com mulher cananéia (Gn 38.1-11) e foi pai de gêmeos com Tamar, sua nora (Gn 38.12-30). Recebeu de Jacó a bênção do CETRO (Gn 49.8-12). Foi antepassado de Davi (Rt 4.12,18-22) e de Cristo (Mt 1.3).

2) Uma das 12 TRIBOS do povo de Israel, formada pelos descendentes de JUDÁ

1). Na divisão da terra, essa tribo recebeu a maior parte do sul da Palestina (Js 15.1-12,20-63).

3) Reino localizado no sul da Palestina. Foi formado quando as dez tribos do Norte se revoltaram contra Roboão e formaram o Reino de Israel sob o comando de Jeroboão I, em 931 a.C. (1Rs 12; v. o mapa OS REINOS DE ISRAEL E DE JUDÁ). Durou até 587 a.C., quando Jerusalém, sua capital, foi tomada e arrasada pelos babilônios, e o povo foi levado ao CATIVEIRO (1Rs 12—22; 2Rs; 2Cr 11—36).

4) Nome usado em Esdras (5.8; 9. 9), Neemias (2.7) e Ageu (1.1,14; 2.2) a fim de indicar a PROVÍNCIA para onde os judeus voltaram depois do CATIVEIRO (v. JUDÉIA).

JUDÁ, TRIBO DE

JUDÁ, TRIBO DE

Judá foi uma das doze tribos de Israel.

TERRITÓRIO GEOGRÁFICO

II Reis 23:8 descreve Judá estendendo-se de Geba a Berseba: Geba fica a cerca de 12,8km ao norte de Jerusalém e Berseba, 64km ao sul. Assim, Judá continha uma faixa de terra montanhosa na parte central do sul da Palestina, cerca de 90km de norte a sul e 32km de leste a oeste. Dessa área, metade era deserto (no sul e leste); o resto era rochoso e mal irrigado.

O cume central onde se assenta Jerusalém, Hebrom e Berseba se eleva a mais de 914m em alguns lugares antes de se afunilar para o deserto no sul. A estrada principal corre ao longo do cume, ligando essas cidades. Para leste, o cume cai vertiginosamente para o Mar Morto, quase 1.524m abaixo. Para oeste ele cai menos íngreme para as "terras baixas", na verdade um platô de 304m de altitude, antes de descer para a planície filistéia, que se estende para o mar.

Antes da existência de Jerusalém, Judá era distante e segura em suas montanhas. Seu verdadeiro centro e capital era Hebrom, 1066m acima. Ao norte era vulnerável a atacantes que marchavam para o sul ao longo da estrada do cume. Entretanto, três grandes vales levavam das planícies do oeste para as montanhas: o vale de Ajalom, o vale de Soreque e o vale do Carvalho. Batalhas se desenrolaram acima e abaixo nesses vales dos dias de Josué ao tempo de Davi e até muito tempo depois.

 As poucas estradas para o leste (a que vai de Jerusalém para Jericó é a mais conhecida) não eram tão importantes, embora tenha sido por essa "porta dos fundos" que Josué invadiu a parte alta da nação (Josué 10:9). Judá ficava assim geograficamente bem fora do centro da vida israelita, visto que somente o território de Simeão ficava para o sul.

JUDAÍSMO


JUDAÍSMO

Sistema religioso praticado pelos judeus (Gl 1.13-14). Seus ensinamentos procedem do AT, de tradições orais antigas e do TALMUDE. O conjunto de seus ensinamentos e práticas começou a formar-se no período do CATIVEIRO, desenvolvendo-se completamente no PERÍODO INTERTESTAMENTÁRIO.



JUDAIZANTE

JUDAIZANTE

Judeu-cristão que insistia que para alguém ser salvo era necessário também guardar as leis básicas do JUDAÍSMO, principalmente a CIRCUNCISÃO.

 O termo “judaizante” não aparece no NT, mas a atividade deles é mencionada em vários lugares, como, por exemplo, em Atos 15.

JUDAS

JUDAS


1) Iscariotes, escolhido por Jesus para ser apóstolo (Mt 10.4), sendo o tesoureiro do grupo (Jo 12.6). Traiu a Jesus (Mt 26.47-49) e, depois, enforcou-se (Mt 27.3-5; At 1.16-19).

2) Irmão de Jesus (Mt 13.55) e provável autor da carta que leva seu nome (v. JUDAS, EPÍSTOLA DE).

3) Apóstolo, filho de Tiago, também chamado de Tadeu (Mt 10.3; Lc 6.16).

4) Cristão de Damasco, em cuja casa Paulo se hospedou, após sua conversão (At 9.11).

5) Cristão que se destacou na igreja de Jerusalém, também chamado de Barsabás (At 15.22-32).

6) O Galileu, um revolucionário (At 5.37).

7) Macabeu, chefe da revolta dos macabeus (v. MACABEUS).

JUDAS, EPÍSTOLA DE

JUDAS, EPÍSTOLA DE

Breve carta escrita por Judas, o “irmão de Tiago” (Jd 1), sendo ambos provavelmente irmãos de Jesus. Foi dirigida a uma igreja ou grupo de igrejas, que estavam sendo vítimas dos ensinamentos de falsos mestres (Jd 4).

O autor repreende o comportamento imoral desses perturbadores e aconselha os leitores a se manterem firmes na fé. Essa epístola é um dos livros ANTILEGÔMENA e é muito semelhante a 2Pedro.

JUDÉI, JUDEUS

JUDÉI, JUDEUS

Este título para a "terra dos judeus" foi usado particularmente depois do exílio judeu na Babilônia. Uma vez que muitos israelitas que voltaram do Egito eram da tribo de Judá, foram chamados Judeus e sua terra, Judéia. Esta parte da Terra Santa tem sido sempre de grande interesse do estudioso da Bíblia por causa da localização de cidades como Jerusalém e Belém dentro da área e por causa dos eventos da vida e ministério de Cristo que ocorreram lá.

DEFINIÇÃO

Usado pela primeira vez em Esdras 5:8, o termo designava uma província do Império Persa. Também é mencionado na literatura do período macabeu depois que a Grécia tomou dos persas o controle da região. (I Macabeus 5:45; 7:10).

 Nos tempos de Roma, a Judéia foi anexada à província romana da Síria até o período de Herodes, o Grande, que foi declarado rei da Judéia por volta de 37 AC. De vez em quando, o termo Judéia parece significar todo o território ocupado pela nação judaica, isto é, todo o oeste da Palestina (Lucas 23:5; Atos 10:37; 26:20).

Escritores seculares dos tempos do Novo Testamento, incluindo Estrabo, Tácito e Filo, usaram o termo num sentido mais amplo. Mas em seu sentido comum e estrito, denotava o distrito sul da Palestina. Os outros dois distritos ou divisões eram Galiléia, no norte, e Samaria, no centro.

JUDÉIA

JUDÉIA

PROVÍNCIA para onde os judeus voltaram depois do CATIVEIRO. A maioria dos que voltaram era da tribo de Judá, e por isso o território que ocuparam passou a ser chamado de Judéia. No tempo de Cristo, o termo se referia à parte sul das três regiões em que a província romana da Palestina era dividida. As outras duas eram Galiléia e Samaria. A Judéia fazia parte do proconsulado romano da Síria e era governada por um procurador. Media quase 90 km de norte a sul e, aproximadamente, a mesma distância de leste a oeste. Estendia-se do mar Morto ao mar Mediterrâneo e da altura de Jope até o extremo sul do mar Morto. Mesmo assim, até nessa época, o nome Judéia às vezes indicava toda a Palestina (Lc 1.5; 4.44; 7.17; At 10.37).

JUDEU

JUDEU

Um judeu nos tempos bíblicos era uma pessoa que pertencia a Judá, que é um reino baseado nos decendentes de uma das doze tribos dos filhos de Israel (chamada de Judá). O termo judeu vem de uma palavra hebraica subjacente que foi primeiramente usada em 2 Reis 16:6 como um termo nacional, que significava os cidadãos de Judá. Começou a ser usado na época de Jeremias um pouco antes dos judeus serem mandados para o exílio no final do século 6 A.C. (Jeremias 32:12).
Uma vez que as pessoas estavam em exílio, o significado nacional do termo foi expandido com um significado religioso. os judeus eram diferentes das pessoas que os cercavam pois eles preservavam uma tradição religiosa de somente um Deus verdadeiro.

JUDEU

JUDEU


1) Morador da JUDÉIA. Os israelitas que voltaram do CATIVEIRO para a província da Judéia e os seus descendentes passaram a ser chamados de judeus porque a maioria deles era da tribo de Judá (Ed 4.12; Ne 1.2).

2) No NT o termo também é usado para aqueles que seguiam o JUDAÍSMO e que, às vezes, atacavam a fé cristã, chegando a perseguir os cristãos (Mt 28.15; Jo 1.19; 3.25; At 14.19).

JUDITE

JUDITE

[Judia] Livro APÓCRIFO, em que fatos se misturam com fantasias. O seu objetivo é dar coragem aos judeus, cujo país estava para ser invadido por inimigos. Judite, uma viúva dedicada a Deus, mata Holofernes, comandante do exército assírio, e assim salva o povo judeu.

JUGO

JUGO


1) Peça de madeira que se prende com correias ao pescoço de animais de carga, para que assim possam puxar uma carroça ou um arado (Nm 19.2; 1Sm 6.7).

2) Em sentido figurado: domínio, opressão (Gn 27.40; Jr 28.2; Gl 5.1); sofrimento (Lm 3.27); obediência (Mt 11.29-30); aliança (2Co 6.14); trabalho (Fp 4.3).

JUIZ

JUIZ


1) Pessoa que tem o poder de julgar causas, dando sentenças (Êx 18.13-26; Sl 82).

2) Líder militar, libertador e governador das tribos do povo de Israel. Desde a morte de Josué até a escolha de Saul como rei, o povo de Israel foi governado por estes juízes: OTNIEL, EÚDE, SANGAR, DÉBORA, BARAQUE, GIDEÃO, ABIMELEQUE, TOLA, JAIR, JEFTÉ, IBSÃ, ELOM, ABDOM, SANSÃO, ELI e SAMUEL.

JUÍZES, LIVRO DE

JUÍZES, LIVRO DE

Sétimo livro da Bíblia, um dos LIVROS HISTÓRICOS DO AT. Narra a história de Israel desde a morte de Josué até o tempo de Samuel,
período em que o povo de Israel era governado por juízes (v. JUIZ 2).

JUÍZO

JUÍZO


1) Ato de Deus baseado em sua JUSTIÇA, pelo qual ele condena ou absolve as pessoas (Sl 97.2).

2) Sentença dada por Deus (Jr 48.47).

3) A palavra de Deus, suas leis e suas promessas (Sl 119.39).

4) Na expressão “juízo final” ou outras semelhantes, o tempo em que Deus, ou o MESSIAS, julgará todas as pessoas, condenando os maus e salvando os JUSTOS (Sl 1.5; Mt 10.15; At 24.25).

5) Julgamento feito de acordo com a vontade de Deus, no dia-a-dia e nos tribunais (Sl 72.1; Pv 21.3).

6) O próprio tribunal (Sl 112.5).

7) Boa saúde mental (Mc 5.15; 2Co 5.13).

JUMENTO

JUMENTO

Animal mamífero de quatro patas, pêlo duro e coloração variada, também chamado de asno, burro, jegue. É facilmente domesticável e utilizado como animal para montar, puxar carroça e levar cargas (Dt 22.10; Zc 9.9).

JUNCO

JUNCO

Espécie de planta direita, fina e longa que cresce em lugares úmidos e dentro da água (Jó 8.11). As suas folhas são usadas para fazer cestos e esteiras.

JUNTA

JUNTA


1) Ponto de ligação entre os membros do corpo ou entre partes de um instrumento (Gn 32.25; 2Cr 18.33), também chamado de articulação.

2) Par ou parelha de animais que puxam um arado ou uma carroça (Dt 22.10; Lc 14.19).

JURAMENTO

JURAMENTO


1) Ato de fazer uma afirmação ou promessa solene, em que se toma por testemunha uma coisa que se tem por sagrada (Mt 5.33-37).

2) A própria afirmação ou promessa assim feita (Gn 24.8). Deus jura por si mesmo porque não há outro ser maior do que ele (Gn 22.16).

JURO

JURO

Lucro ou rendimento, calculado sobre determinada taxa, de dinheiro emprestado ou de capital empregado (Mt 25.27). Ao israelita não era permitido cobrar juros de outro israelita, apenas de estrangeiros (Dt 23.20).

JUSTIÇA

JUSTIÇA


1) Atributo pelo qual, ao tratar com as pessoas, Deus age de acordo com as normas e exigências da perfeição de sua própria natureza (Sl 119.142).

 Por isso Deus castiga tanto os incrédulos (Dt 33.21; Sl 96.13) como o seu próprio povo (Sl 50.5-7; Is 28.17) e, com imparcialidade, socorre os necessitados (Dt 10.17-18; Sl 72.2).

2) Ato pelo qual Deus, em sua graça e em conformidade com a sua ALIANÇA, selada com o sofrimento, morte e ressurreição de Cristo, perdoa as pessoas fracas, perdidas e sem justiça própria, aceitando-as através da fé (Rm 3.21-26; 1Co 1.30; 2Co 5.21).

3) Qualidade que leva os cristãos a agirem corretamente, de acordo com os mandamentos de Deus (Mq 6.8; Rm 6.13,19; Ef 5.9; 1Pe 2.24; v. JUÍZO

5) e RETIDÃO.

JUSTIFICAÇÃO


JUSTIFICAÇÃO

1) Segundo alguns BIBLISTAS, o ato judicial de Deus por meio do qual ele, pela sua graça, perdoa os seres humanos de sua culpa. V. JUSTIÇA (2).

A base para esse perdão é que Jesus cumpriu a Lei em lugar dos seres humanos e sofreu o castigo pelos pecados deles (Rm 5.12-21). As pessoas são justificadas através da fé (Rm 3.21-25,28; 5.1), que Deus lhes dá pela ação do ESPÍRITO SANTO.
2) Segundo outros biblistas, justificação é o ato pelo qual Deus, como Rei, Senhor e Salvador, aceita e põe em relação correta consigo a pessoa que faz com ele uma ALIANÇA, a qual é baseada na fé em Cristo. A justificação é originada e mantida pelo Espírito Santo (v. JUSTIÇA (2) e Rm 1.17; 3.24 e 4.25 na NTLH).

JUSTO

JUSTO


1) Certo; legítimo (peso: Lv 19.16; causa: Sl 17:1).

2) A pessoa que, numa causa judicial, tem razão (Dt 25:1).

3) No sentido religioso judeu, aquele que pratica a Lei e as cerimônias judaicas (Mc 2.17).

4) A pessoa que está corretamente relacionada com Deus pela fé (Rm 1.17) e, por isso, procura nos seus pensamentos, motivos e ações obedecer àquilo que Deus, em sua Palavra, estabelece como modelo de vida (Rm 4.3; v. JUSTIÇA (2) e (3).

5) A pessoa que está de acordo com a justiça de Deus (Sl 145.17; v. JUSTIÇA (1).

IRA DE DEUS, A


IRA DE DEUS, A
Esse é um termo usado para descrever a tristeza de Deus com os seres humanos e seus atos pecaminosos. A palavra "ira" é um conceito representado por muitas palavras diferentes nas suas línguas originais da bíblia, mas todas elas têm haver com raiva justificada por ações injustas.
NO VELHO TESTAMENTO
O Velho Testamento diz que Deus está bravo com nações, pecadores e até mesmo com seu próprio povo, os judeus. A ira de Deus é expressa primeiramente com Israel por se recusarem a acreditar na sua palavra sobre entrar na Terra Prometida. Depois de eles terem sido resgatados do Egito, recebido os Dez Mandamentos e a aliança e visto a glória de Deus (Números 11:10; 12:19; 22:22; 32:10-14), eles ainda desacreditavam. Então Deus em sua ira, condenou os Israelitas a vagarem no deserto até que eles morressem. O motivo principal da ira de Deus no Velho Testamento era que seu próprio povo constantemente quebrava a aliança que ele fez com eles. Eles adoravam a ídolos (Deuteronômio 2:15; 4:25; 9:7-8, 19; Juízes 2:14; 1 Reis 11:9; 14:9; 15; 2 Reis 17:18), misturavam falsos deuses com a adoração ao Senhor (Isaías 1:10-17; Jeremias 6:20; Oséias 6:6; Amós 5:21-27), se rebelaram (1 Reis 8:46), algumas vezes não acreditavam em Deus (Números 11:33; 14:11; 33; Salmos 95:10-11) e ignoraram sua preocupação com o amor, com a justiça e com a santidade (Êxodo 22:22-24; Isaías 1:15-17; Amós 5:7-12; Miquéias 3:1).
Deus também está bravo com toda a humanidade (Naum 1:2). Os profetas desenvolveram a ideia do "Dia do Senhor" para avisar Israel e as nações que ninguém poderia escapar da ira de Deus (Amós 5:18-20). O Dia do Senhor é o dia de sua ira (Sofonias 1:15).
O Velho Testamento mostra a ira de Deus como sendo balanceada com a sua paciência, amor e a sua prontidão em perdoar. Deus é paciente. A palavra hebraica para "paciente" está relacionada com a palavra "ira" que significa "tamanho da ira"; ou seja, Deus não fica irado rapidamente (Êxodo 34:6). Deus é cheio de compaixão e fidelidade (34:6). Até mesmo quando seus filhos pecam contra ele, ele é como um pai que é cheio de compaixão e amor. Ele é sempre fiel aos seus filhos. Ele é pronto para perdoar aqueles que pecam contra ele quando eles expiam e são limpos de seus pecados. (34:6). O prazer de seu amor é muito maior que sua ira (Salmos 30:5). Miquéias orava e pedia ao Senhor que ele perdoasse logo o seu povo porque a sua ira não poderia durar para sempre (Miquéias 7;18; compare Salmos 89:46; Jeremias 3:5). No Salmo 103:8-13, o salmista compara o amor de Deus ao de um pai que não guarda sua ira continuamente nem tão pouco irrita seus filhos com disciplina. O propósito da ira de Deus não é destruir a humanidade (Oséias 11:9). Sua ira não é vingativa ou imprevisível. Em sua ira, ele coloca limites em nações (Babilônia, Assíria) e disciplina seu povo para que eles retornem a ele (Joel 2:13-14). No Velho Testamento, O Dia do Senhor não termina com a ira de Deus e sim com restauração da terra quando toda a terra será cheia do conhecimento de Deus (Isaías 11:9; Habacuque 2:14) e não haverá mais maldade (Isaías 65:25).
NO NOVO TESTAMENTO
O Novo Testamento também ensina sobre a ira de Deus juntamente com a doutrina de sua graça e amor (Mateus 3:7; Lucas 21:23; João 3:36; Romanos 1:18; Efésios 5:6; Apocalipse 14:10). Aqueles que não confessarem a fé na ressurreição de Jesus permanecem em pecado e serão expostos a ira de Deus (Efésios 2:3, 1 Tessalonicenses 1:10). A boa notícia do Novo Testamento é que Jesus veio nos libertar da ira de Deus (Romanos 5:9). Aqueles que forma libertados se reconciliaram com Deus (5:10) porque eles não estão mais de baixo de condenação (8:1).