Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

JOSÉ

JOSÉ,

O nome José significa, "O Senhor acrescentará" e era um nome muito comum na época da Bíblia. Apesar de existirem vários Josés mencionados na Bíblia, tem um José que se destaca - o filho de Jacó. Apesar de ter sofrido muitas dificuldades e pessoas más, José permaneceu fiel a Deus e generoso para com outras pessoas. Como resultado, Deus o fez ser extremamente bem sucedido e o usou para salvar toda a raça hebraica.

IRMÃOS CIUMENTOS

No Velho Testamento, José era o décimo primeiro filho de Jacó e o primeiro filho de Raquel. Raquel colocou o nome de José em seu filho que quer dizer "Que Ele acrescente". Isso mostra que Raquel desejava que Deus a desse mais um filho depois de José (Gênesis 30:24). A Bíblia não nos fala mais nada de José até seus dezessete anos quando ele cuidava do rebanho de ovelhas de seu pai junto com seus irmãos (Gênesis 37:2). José era o filho favorito de seu pai, pois não só ele nasceu depois que Jacó já tinha uma certa idade (Gênesis 37:3,) como era filho de sua esposa preferida. Por causa de seu favoritismo, os irmãos de José o odiavam. A inveja de seus irmãos piorou ainda mais quando Jacó deu a José uma beca de mangas compridas, toda colorida e que se arrastava no chão (Gênesis 37:3-4). A inimizade de seus irmãos cresceu quando um dia José revelou a eles que ele estava tendo sonhos que mostravam que um dia seus irmãos se dobrariam diante dele (Gênesis 37:5-11). Um certo dia, Jacó mandou que José fosse olhar seus irmãos e os rebanhos perto de Siquém, seus irmãos o enganaram e o venderam a mercadores em uma caravana rumo ao Egito (Gênesis 37:25-28). Os irmãos de José então apanharam sua túnica, embeberam-na em sangue de bode e a levaram até Jacó, o qual ficou atordoado quando concluiu que José havia sido morto por um animal selvagem (Gênesis 37:31-35).

PRESO NO EGITO

No Egito, José foi vendido a um oficial da guarda egípcia , chamado Potifar (Genesis 37:36), o qual colocou José no comando de toda a sua casa. No entanto, José logo teve problemas por causa da esposa de Potifar que se sentiu atraída por ele e tentou seduzi-lo (Gênesis 39:6-10). José persistentemente resistiu a suas investidas, dizendo que concordar com seus desejos prejudicaria o seu patrão e seria um pecado para com o seu Deus (Gênesis 39:9). No entanto, um dia, a esposa de Potifar agarrou a túnica de José e convidou José para se deitar com ela. José fugiu deixando sua túnica para trás. Com a túnica de José como evidência, a esposa de Potifar acusou José de tentar estuprá-la e Potifar assim acreditou nela (Genesis 39:19). José foi colocado na prisão do rei (Gênesis 39:20), onde o copeiro e o padeiro do Faraó também foram confinados. Enquanto estava na prisão, com a ajuda de Deus, José interpretou os sonhos desses dois homens. Assim como José havia previsto, o padeiro foi executado, e o copeiro foi recolocado em suas atribuições (Gênesis 40:21-22) no palácio real.

Dois anos mais tarde, Faraó teve sonhos que todos os mágicos e os sábios do país não os puderam interpretar (Gênesis 41:8). O copeiro que havia estado na prisão com José contou a Faraó de como José havia interpretado os seus sonhos e então, Faraó mandou chamar José. Deus revelou a José que o sonho previa sete anos de abundância no Egito, seguidos por sete anos de grande fome (Gênesis 41:25-36). Faraó, impressionado com a interpretação de José, o fez governador do Egito, vindo em segundo lugar apenas após ele mesmo (Gênesis 41:39-44). A José lhe foi dado um novo nome, Zafenate-Panéia, e uma esposa, Asenate, filha de Potifar (Gênesis 41:45).

PROMOVIDO A GOVERNADOR

José tinha trinta anos de idade quando se tornou governador do Egito. Durante os sete anos de prosperidade, ele esteve no comando de ajuntar os alimentos extras e os suprimentos para os sete anos de fome que estavam por vir (Gênesis 41:53-56).

Voltando a Palestina, a fome se tornou severa porque não armazenaram alimento. Jacó, o pai de José , enviou todos os seus filhos, exceto Benjamin, seu filho mais novo, para o Egito para comprar grãos. Seus irmãos não reconheceram José quando ficaram diante dele e se encurvaram para pedir a ele alguns grãos. No entanto, José os reconheceu e se lembrou do sonho que tinha tido anos antes (Gênesis 42:8-9). Depois de ter escutado relatório de sua família, José os acusou de serem espiões (Gênesis 42:9-14) e mandou que eles deixassem um de seus irmãos como refém e fossem buscar seu irmão Benjamim para provar a veracidade de sua história (Gênesis 41:19-20). Simeão, o mais velho dos irmãos, foi amarrado e deixado no Egito enquanto os outros irmãos voltaram para pegar Benjamim (Gênesis 42:24).

REUNIDOS

Quando a fome piorou muito na Palestina, Jacó pediu aos seus filhos que voltassem ao Egito e comprassem mais grãos (Gênesis 43:1-2). Dessa vez, Jacó relutantemente concordou com as condições do administrador egípcio e deixou que Benjamim fosse com seus irmãos (Gênesis 43:11-13). Quando eles chegaram no Egito, eles foram levados a casa de José, aonde eles se encotraram Simeão. O súditos de José prepararam uma refeição para eles (Gênesis 43:33) comerem. José finalmente revelou sua identidade e declarou que Deus havia mandado ele preservar suas vidas (Gênesis 45:4-8). Depois dessa reunião, José mandou buscar Jacó. Ele providenciou carroças e provisões para a viagem de volta (Gênesis 43:21). Quando Jacó estava quase no Egito, José foi ao encontro dele, e lá ocorreu mais uma grande reunião (Gênesis 46:28-29). Ele apresentou seu pai e seus irmãos ao faraó, que permitiu que a família inteira de Jacó se assentasse em Gosém (Gênesis 47:6). Quando ele soube que seu pai estava doente, José pegou seus dois filhos Manassés e Efraim e levou a seu pai para que ele os abençoasse. José colocou seus filhos em volta de Jacó para que o mais velho, Manassés, recebesse a benção da primogenitura. No entanto, Jacó cruzou seus braços e colocando a sua mão direita em Efraim, o concedeu a maior benção (Gênesis 48:14-20). Ele também deu a José uma terras que ele havia ganhado dos Amoritas numa batalha. Quando Jacó finalmente morreu, José fez os preparativos de seu funeral e depois que os ritos costumeiros foram realizados, uma grande procissão fúnebre foi a Canaã, aonde seus filhos o enterraram na caverna do campo de Macpela perto de Hebrom (Gênesis 50:1-12).

Quando José tinha 110 anos, ele chamou seus irmãos e disse a eles que ele estava prestes a morrer. Ele os fez jurar que quando eles voltassem a Canaã, eles levariam os seus ossos com eles. José morreu, foi embalsamado e foi colocado num caixão no Egito (Gênesis 50:26). Muitos anos depois, durante o Êxodo, Moisés levou os ossos de José com ele do Egito (Êxodo 13:19). Os restos mortais de José foram enterrados em Siquém num pedaço de terra que Jacó havia comprado quando ele estava vivo (Gênesis 33:18-20).